Fic's:

Amo-te com todas as minhas forças
Amo-te
Passado e presente
Twincest
Juro que não te vou deixar
Juntos... para sempre?
Anjo selvagem
Amar não é crime
Feitiço de amor
It is not just sex
Quando eu crescer
Nada nem ninguém nos separa
Cedo ou tarde
My mission is kill you
Uma verdadeira história de amor
Segredo eterno
Cedo ou tarde II - Um novo começo
The king of hip-hop

One Shots:

Almas gémeas
Don't jump
Saltarei contigo
Perdoas-me? Claro!
Traído pela alma gémea
Esta separação só nos juntou ainda mais!
Somos amigos? Não. Irmãos!
Mata-me se fores capaz
Desculpa, mas eu odeio-te!
Cala-te e trabalha
Eu sou só teu... e demais ninguém
24 horas
Não te quero perder
Anjo da Guarda
Quero-te sempre comigo
Agora estou sozinha
My sweet vampire
Ich liebe dich
Preciso de ti...
Pequeno segredo
Tentação proibida
Tu és a minha metade
Equação
Forever yours
Por mais errado que seja
Sempre te amei
Revenge
Forgive me
I will be
Can you feel the love tonight?

Todo o rei tem de ter a sua rainha...

Sexta-feira, 20 de Março de 2009

One Shot - Por mais errado que seja

Hello again! ^^

Bem... eu vou postar a apresentação da próxima fic amanhã... ainda não fiz o trailer, e se não conseguir fazer amanhã não importa. u.u

Deixo-vos entretanto aqui uma One Shot que eu pessoalmente adoro *-*

Espero que vocês também gostem ^^

Kiss...

_____________________________________________________________________

 

Tipo: Twincest, românce

 

Por mais errado que seja

 

 

Noite de trovoada.
Trovoada… trovões, relâmpagos, chuva, vento, frio. Tudo o que o meu gémeo não gosta.
Em noites como esta ele costumava procurar a minha protecção. Mas hoje ele parece relutante em fazê-lo.
Consigo ouvir a cama que se encontra no quarto ao lado do meu ranger devido ao facto de ele tentar esquecer a trovoada, e mexer-se várias vezes numa tentativa frustrada de adormecer.
Decido então que já chega. Dói-me o peito saber que parte de mim se encontra neste momento sozinho, com medo da tempestade que se mantém lá fora, desprotegido e frágil.
É então que no preciso momento em que me levanto da cama o ranger produzido pela do quarto ao lado deixa de se ouvir. E assim que abro a porta do meu quarto, um trovão maior que todos os outros se fez pronunciar e num acto inesperado um alguém salta para os meus braços desesperadamente, abraçando-me com urgência. Nem um segundo demorou até eu perceber de quem se tratava.
Abracei-o de igual modo, e cuidadosamente com uma mão fechei a porta e tranquei-a.
Intensifiquei o abraço, apertando o seu corpo ainda mais contra o meu, e comecei a andar para trás, encaminhando-me de volta à cama.
Assim que caímos sobre ela ficamos deitados de lado, frente-a-frente, mas ele não me largou.
Outro trovão se fez ouvir e senti-o estremecer.

Eu – Shhhhh… está tudo bem, tem calma. – tentei reconforta-lo. – Eu estou aqui, não te vou largar. – beijei-lhe a testa levemente.

O seu corpo amoleceu e logo deduzi que ele já se tivesse acalmado, encontrando finalmente a protecção que procurava.

Bill – Obrigada. – ouvi-o murmurar.

O seu agradecimento aqueceu-me o coração de imediato. Coloquei uma das minhas mãos por baixo da sua camisa de dormir, começando a acariciar-lhe a zona da barriga, como sempre fazia quando o queria acalmar.
Ele suspirou fortemente contra o meu pescoço, fazendo-me sentir excessivamente bem ao sentir a sua respiração quente tocar-me na pele.
Afundei o meu rosto no mar dos seus cabelos negros, dei-lhe um leve beijo na nuca e fechei os olhos deixando-me envolver no doce perfume que o champô que ele usara exalava.
Faziam hoje três dias que eu me tinha declarado a ele. Três dias em que eu lhe tinha confessado os meus verdadeiros sentimentos. Três dias esses em que ele nunca mais me olhara como antes nem nunca mais tocara no assunto.
Começava a pensar que certamente nada mais voltaria a ser o que era. Mas talvez estivesse errado…

Bill – Desculpa. – sussurrou.
 
Abri os olhos e desci o meu corpo, de maneira a ficar ao mesmo nível que o seu. Beijei-lhe a testa, o maxilar, o pescoço e rocei levemente o meu nariz no seu. Olhei-o nos olhos e sorri.

Eu – Não há nada para desculpar. – disse por fim.

Um sorriso desenhou-se nos seus lábios. O quanto eu senti falta daquele sorriso puro.
Ambos fechamos os olhos novamente e os nossos rostos começaram a se aproximar lentamente.
As nossas respirações cruzaram-se e o meu nariz roçou novamente no dele.
Tomei finalmente coragem e uni os nossos lábios num magnífico beijo.
Uma das minhas mãos acariciou o seu braço esquerdo, subindo até finalmente tocar o seu rosto suavemente.
A minha outra mão, por iniciativa própria, colocou-se atrás da sua cabeça e imediatamente puxei-o ainda mais para mim, tornando o nosso beijo cada vez mais intenso.
Acariciei a maçã do seu rosto com as costas da minha mão e passei delicadamente a minha língua pelos seus lábios. Ele entreabri-os dando espaço às nossas línguas para se envolverem. Um arrepio percorreu todo o meu corpo ao sentir finalmente o frio do seu piercing.
Beijávamo-nos com amor, desejo, mas sobretudo com paixão e saudade. Agora nada nem ninguém poderia quebrar aquele momento. Nem mesmo a tempestade que desabava lá fora.
O beijo foi ganhando cada vez mais intensidade.
Senti as suas unhas cravarem-se fortemente no meu braço, embora não me causassem qualquer tipo de dor. Ele agarrava-me como se tivesse medo que eu a qualquer momento fugisse. Coisa que decididamente eu não faria.

Bill – Amas-me mesmo? – perguntou com cautela, mal os nossos lábios se descolaram a muito custo.

Abri os olhos lentamente e fitei os seus. Atrevi-me a mergulhar no seu olhar profundo e brilhante, tão semelhante ao meu.

Eu – Eu amo-te mais que à minha própria vida. – sorri. – Sem ti não sou nada.

Ele sorriu docemente e, com uma mão, acariciou-me o rosto suavemente.
Subitamente o seu semblante ficou carregado e sério, mas não menos belo.

Eu – O que foi? – perguntei ligeiramente preocupado.

Uma angústia inexplicável apoderou-se do meu peito. E como sempre ele percebeu isso. Pelo que me beijou levemente os lábios e voltou a olhar-me nos olhos.
 
Bill – Tenho medo. – acabou por confessar. – Isto é tão errado. – uma lágrima escorreu pelo seu rosto.

Fechei os olhos. Respirei fundo e voltei a olhá-lo.

Eu – Bill. Isto pode ser um erro perante o mundo, mas não é um erro perante os nossos corações. Nós não temos culpa dos nossos sentimentos. Não somos nós que mandamos neles. Tudo na vida tem uma explicação, e isto que sentimos não é excepção. Nós sempre fomos uma dupla de irmãos exemplar. – ele baixou a cabeça.

Coloquei uma mão no seu queixo e levantei-o, fazendo-o olhar-me nos olhos outra vez. Aproximei-me e beijei-o suave e apaixonadamente, deixando transparecer todo o meu amor por ele sentido novamente.

Eu – Bill, eu amo-te. E nada nem ninguém irá mudar isso. Nem mesmo tu.

Bill – Eu não quero que isso mude. – disse de imediato. – E é disso que eu tenho medo. – ia para falar, mas ele não me permitiu. – Tenho medo que tu um dia te arrependas de tudo isto e… – engoliu em seco. – E me deixes, e…

Eu – Bill. Bill, Bill, Bill. – silenciei-o colocando o meu dedo indicador sobre os seus lábios. – Isso nunca vai acontecer. Nunca. Estás a ouvir? Eu arrisco-me a dizer que o meu amor por ti irá comigo para o caixão.

Bill – E eu digo que não é só esse amor que irá contigo para o caixão. Pois eu também irei. – sorriu.

Sorri-lhe de igual modo e, mais uma vez, voltamos a beijar-nos.
Ele sempre me dissera que no dia em que eu morresse ele morreria asseguir. Mas… saber que ele quer ficar a repousar comigo para toda a eternidade dá-me forças para continuar com este amor e enfrentar o mundo que estiver contra nós.
Porque… quando amamos alguém verdadeiramente, não importam as aparências nem o que os outros pensam. O que importa, é que não desistamos desse amor. Por mais errado que seja.
Fim
Estou a ouvir: Beautiful lie - 30 Seconds to mars

By мєℓαηιє кαυℓιтz às 23:28

Link do post | Adicionar aos favoritos

De Helena Manson a 21 de Março de 2009 às 21:09
LINDO
ESCREVES MESMO BEM *-*


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




Melanie Kaulitz
Meu perfil * Adicionar

Sobre a fic:

Titulo: The king of hip-hop
Capitulos: ?
Iniciada: 07/06/09
Acabada: --/--/--
Género: Comédia (?), angustia, romance
Banda sonora: Lista
Personagens principais:
Tom Kaulitz
Naddya Forks
Bill Kaulitz
Stella Shiffer
Yu Kaulitz
Mark Davis
Kimberlee Foster
[Descrição]
Personagens secundárias:
Jeff
Trailer: [www]

 

Recente:

The king of hip-hop - Cap...

The king of hip-hop - Cap...

The king of hip-hop - Cap...

The king of hip-hop - Cap...

The king of hip-hop - Cap...

2 anos!

The king of hip-hop - Cap...

The king of hip-hop - Cap...