Fic's:

Amo-te com todas as minhas forças
Amo-te
Passado e presente
Twincest
Juro que não te vou deixar
Juntos... para sempre?
Anjo selvagem
Amar não é crime
Feitiço de amor
It is not just sex
Quando eu crescer
Nada nem ninguém nos separa
Cedo ou tarde
My mission is kill you
Uma verdadeira história de amor
Segredo eterno
Cedo ou tarde II - Um novo começo
The king of hip-hop

One Shots:

Almas gémeas
Don't jump
Saltarei contigo
Perdoas-me? Claro!
Traído pela alma gémea
Esta separação só nos juntou ainda mais!
Somos amigos? Não. Irmãos!
Mata-me se fores capaz
Desculpa, mas eu odeio-te!
Cala-te e trabalha
Eu sou só teu... e demais ninguém
24 horas
Não te quero perder
Anjo da Guarda
Quero-te sempre comigo
Agora estou sozinha
My sweet vampire
Ich liebe dich
Preciso de ti...
Pequeno segredo
Tentação proibida
Tu és a minha metade
Equação
Forever yours
Por mais errado que seja
Sempre te amei
Revenge
Forgive me
I will be
Can you feel the love tonight?

Todo o rei tem de ter a sua rainha...


Terça-feira, 15 de Dezembro de 2009

Cedo ou tarde II (Um novo começo) - Capitulo 39 |último|

Hey! =)

Desculpem uma vez mais por, primeiro, não ter postado no Domingo, e segundo, por estar a postar a estas horas.

No Domingo não postei, porque estive a tarde toda a trabalhar no trabalho de Educação Visual. E nesta segunda também não postei porque estive a estudar para o teste de Fisico-Quimica que tive hoje uu'

Por isso só tenho é boas desculpas. x)

Ah! E tou a postar a estas horas porque só agora acabei o capitulo --.

Anyway, mas o que interessa é que ele veio :b

OMG! Eu tenho de falar nisto: O NOVO VIDEO-CLIP DOS TH ESTÁ ESPECTACULAR. Oh, meu Deus, tá mesmo lindo. Lindo, lindo, lindo *-*

É melhor não começar a falar sobre ele senão nunca mais saiu daqui x)

E antes de passar ao capitulo posso dizer que estou completamente feliz porque faltam apenas dois dias para entrar em férias 8D

Isto merecia uma festa XD

Então pronto. Cá vai o último capitulo que é para a Miss Bill ^^

Não se esqueçam que ainda vem o epilogo (que já tem dona) :b

Bjo. <3

_______________________________________________________________________________

 

Capitulo 39 [Último]

 

[Franciska]
Ele parou o carro no parque de estacionamento ao pé da pista de descolagem das avionetas e tirou-me do carro brutamente, começando a caminhar comigo pela enorme estrada de alcatrão. Eu só sabia atrasa-lo, resmungando, chamando-lhe todos os nomes ofensivos possíveis de que me lembrava, puxando o meu braço esquerdo – o qual ele agarrava com força – no sentido contrário e fazendo tentativas falhadas de me mandar ao chão.
As lágrimas escorriam pelo meu rosto sem que eu as pudesse impedir, e à minha mente só vinham imagens dos bons momentos que passei com o Bill.
Morria de medo de entrar naquela avioneta e voltar para Londres com aquele monstro. Morria de medo só de imaginar o espancamento que eu sabia que me esperava assim que chegássemos à casa dele. Simplesmente tinha pavor do que pudesse acontecer; não a mim… mas sim ao meu filho.
O meu coração desejava com todas as forças que o Bill aparecesse ali com a polícia e nos salvasse. Eu queria poder voltar a abraça-lo, beija-lo; queria ser feliz com ele. A minha esperança já era quase nula…
De repente o som bastante particular de carros da polícia a aproximarem-se fez-me olhar repentinamente para trás, deparando-me com uma enorme brigada. E no meio vinha o carro blindado do Tom. Eram eles!
O meu coração disparou de felicidade, fazendo automaticamente um enorme sorriso se desenhar no meu rosto.
 
Jack – Merda! – Ele rosnou furiosamente, tentando arrastar-me novamente em direcção à avioneta que tivera alugado.
 
Eu – Não! – Gritei, debatendo-me para me separar dele. Eu queria correr para os braços daquele que amava. – Deixa-me animal. – Voltei a berrar-lhe, recebendo uma chapada na minha face como resposta.
 
Bill – Franciska! – Ouvi-o gritar atrás de mim.
 
Olhei para a minha retaguarda e os polícias corriam na nossa direcção. Estavam cada vez mais perto.
Eu continuava a chorar e a lutar por liberdade.
 
- Largue a rapariga! – Ouvi uma voz grossa e desconhecida, ao longe, ordenar.
 
Jack – Merda! – Voltou a dizer e olhou-me colérico. – Eu não vou ser preso por causa de ti, minha cabra. – Vociferou completamente fora de si.
 
De repente senti o meu corpo frágil ser atirado ao chão com brutalidade. Levei as minhas mãos ao asfalto para tentar amparar a queda e não ficar completamente estendida no chão. Voltei a ouvir novamente o meu nome a ser pronunciado pelos lábios do pai do meu filho. Mas desta vez a voz dele estava mais perto. E quando eu me dei conta já tinha finalmente os seus braços ao redor do meu corpo, abraçando-me fortemente contra o seu como se não houvesse amanhã.
Imediatamente procurei avidamente os seus lábios com os meus, tomando-os num beijo intenso e completamente apaixonado; parecia que já não nos víamos há anos!
Beijávamo-nos com todo o amor que sentíamos um pelo outro, com toda a saudade e exprimindo todo o medo que outrora tivéramos de nos perder um ao outro. Por momentos permiti-me esquecer tudo à minha volta. Esquecer que o Jack existia, esquecer que algum dia eu tivera tido medo, esquecer que estávamos no meio de uma pista de descolagem de avionetas e que várias pessoas nos cercavam. Apenas o facto de estarmos nos braços um do outro novamente importava, nada mais.
Apenas quando os nossos pulmões começaram a clamar por ar é que nos separamos, olhamo-nos nos olhos e arfamos sorridentes, tentando recuperar o oxigénio que aquele beijo arrebatador nos tinha roubado.
Então o som dos gritos das autoridades e das solas dos sapatos dos mesmos a correrem pela estrada, voltaram a atrair a nossa atenção, que se direccionou para a nossa frente.
Depois de correr o mais veloz que pôde, Jack entrou na primeira avioneta que lhe apareceu à frente. Rapidamente a meteu a trabalhar e arrancou, dando meia-volta e quase atropelando toda a gente que via pela frente. Vi um homem já com alguma idade sair debaixo da avioneta assim que esta fora ligada e gritar um “Hey!”, enquanto abanava as mãos no ar, segurando uma chave de fendas numa delas.
Logo um arrepio tomou conta de mim, e olhei para a avioneta que já se encontrava a levantar voo.
 
Bill – Ele vai fugir! – Exclamou irado, olhando com ódio para o objecto voador.
 
Eu – Não por muito tempo. – Murmurei, não tirando os olhos do líquido negro que caia pelo ar em queda livre de encontro ao chão. Aquele líquido espesso só podia ser uma coisa, e só podia provir da avioneta.
 
E de um momento para o outro ouviu-se uma enorme explosão, que nos fez a todos arregalar os olhos. A única coisa que se via era um fumo sombrio que se dispersava pelo ar com a ajuda do fraco vento que se fazia sentir.
 
Tom – Eu não acredito no que os meus olhos viram. – Comentou completamente atónito. – Isto significa que ele… nós… tu… ele… livres… estamos… nós… - Eu e o Bill olhávamos para ele com caras de tacho sem perceber patavina de nada do que ele estava para ali a dizer.
 
Bill – Meu querido irmão. Todos nós sabemos o imenso jeito que tu tens para falar palavras desconexas. É muito bonito eu sei. Mas agora importas-te de juntá-las todas e mais algumas numa única frase para que possamos perceber? – Não me consegui controlar e comecei a rir-me abafadamente contra o peito do meu amado.
 
Tom – Vocês não estão a perceber. – Sorriu estridentemente. – Nós estamos livres dele! – Eu tinha a sensação de que mais um bocadinho ele começava aos pulos. De repente o som do seu telemóvel fez-se ouvir provindo do bolso das suas enormes calças. – É a Sasha. – Declarou ao visualizar o visor do aparelho. – Esperem um pouco. – E afastou-se um bocado.
 
Bill – Nós estamos livres meu amor. – Arrepiei-me ao escutar a sua doce voz sussurrar ao meu ouvido. Baixou o olhar e olhou a minha barriga coberta pela camisola que eu trajava. Levou uma mão ao meu baixo verde e começou como que a acarinha-lo. – Como está o nosso bebe? – Perguntou sorridente.
 
Eu – Acho que está bem, agora que o pai está aqui. – Sorri cansadamente, pousando a minha cabeça no seu ombro esquerdo.
 
Bill – Sentes-te bem? – Questionou agora preocupado.
 
Eu – Estou um bocadinho cansada. Isto deu cabo de mim, estou devastada. – Fechei os olhos.
 
Bill – Acho que é melhor irmos para o hospital ver se está tudo bem com o bebe. – Pegou-me ao colo e levantou-se do chão com cuidado. – Tom, nó…
 
Tom – Vamos imediatamente para o hospital! – Interrompeu-o subitamente, num ataque de felicidade incrível.
 
Bill – O que se passa? – Perguntou confuso, mas já com um sorriso a desenhar-se nos seus lábios; eu tinha a certeza que ele fazia já uma ideia do que se passava. E eu também.
 
Tom – O meu filho… o Fabian acordou! – E naquele momento era impossível caracterizar o enorme brilho que ele tinha nos olhos.
 
Continua…
Estou ou escrevo: tou quase de férias 8'D
Estou a ouvir: Innocence - Avril Lavigne

By мєℓαηιє кαυℓιтz às 21:39

Link do post | Comenta! ^^ | Opiniões (14) | Adicionar aos favoritos

Melanie Kaulitz
Meu perfil * Adicionar

Sobre a fic:

Titulo: The king of hip-hop
Capitulos: ?
Iniciada: 07/06/09
Acabada: --/--/--
Género: Comédia (?), angustia, romance
Banda sonora: Lista
Personagens principais:
Tom Kaulitz
Naddya Forks
Bill Kaulitz
Stella Shiffer
Yu Kaulitz
Mark Davis
Kimberlee Foster
[Descrição]
Personagens secundárias:
Jeff
Trailer: [www]

 

Recente:

Cedo ou tarde II (Um novo...

Cedo ou tarde II (Um novo...

Cedo ou tarde II (Um novo...

Cedo ou tarde II (Um novo...

Cedo ou tarde II (Um novo...

Cedo ou tarde II (Um novo...

Cedo ou tarde II (Um novo...

Cedo ou tarde II (Um novo...